quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

#ValeuLula!!!



Valeu a Pena. Valeu muito a pena!!!

Valeu cada caminhada,comício,encontro,reunião,panfletagem,desde 1989,na 1ª tentativa de chegar á Presidência da República.
Valeu por cada lágrima vertida nas três tentativas frustadas; Valeu por cada linha maldosa escrita pelo PIG; Valeu por esfregar na cara da elite brasilera que seus preconceitos não se sustentam;
Quebramos paradigmas.
Superamos crises. Internas e externas!
Vencemos!!!!
O PT mostrou ao Povo Brasileiro sua capacidade,seu acúmulo de experiência,sua excelência na Gestão Pública.
Com muito menos realizações,partidos e seus quadros sucumbiram á tentação do Poder pelo poder,rasgaram a Constituição e criaram uma aberração chamada Reeleição, afrontando a alternância salutar no Poder e consequentemente a Democracia.
Não repetimos tal erro,mesmo com apoio de 87% do Povo Brasileiro e maioria no Congresso!!
O PT e o Presidente Lula Devolveu á esse povo a Autoestima; o Orgulho de ser Brasileiro.
Inseriu Globalmente o Brasil econômica e políticamente, com altivez e soberania.
Valeu a pena!
Obrigado PT! Obrigado Presidente Luíz Inácio Lula da Silva!!
Até Breve!!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Desenvolvimento Global e Mudanças Climáticas.


Brasil vai liderar mudança no desenvolvimento global, diz Nicholas Stern


Para economista britânico, crise climática mundial representa uma oportunidade para a América Latina.

Agência Estado

Stern citou a liderança brasileira na produção de biocombustíveis

O Brasil tem tudo para liderar a América Latina e o mundo na transformação do modelo econômico atual para um mundo para uma economia de baixo carbono, na opinião do economista britânico Nicholas Stern.

Autor do influente relatório que, em 2006, pela primeira vez calculou os custos econômicos das mudanças climáticas e do seu combate, Stern afirmou à BBC Brasil que a crise climática global representa uma oportunidade para a região como um todo.

“Na América Latina, você pode ter ganhos enormes provenientes das oportunidades das novas tecnologias, já que é esse o caminho que o mundo está tomando”, disse o inglês, em Cancún.

“Acho que a região será um dos motores da mudança.”

Nicholas Stern citou o Brasil como líder atual na produção de biocombustíveis e disse apostar que o país possa liderar também nas tecnologias de biocombustíveis de segunda geração, ou seja, a partir de restos da produção de cana-de-açúcar ou milho, por exemplo.

Potencial do Brasil

Outra tecnologia do futuro, a produção de combustível a partir de algas, também seria um dos possíveis potenciais do Brasil, que, segundo Stern, ainda tem a vantagem de ter uma comunidade científica expressiva e um centro tecnológico.

“O Brasil poderia ser uma das principais fontes de produtos que dependem da biomassa. Florestas têm um tremendo potencial como combustível, se forem bem administradas.”

“Acho que o Brasil realmente tem um potencial tremendo”, disse.

O economista destacou principalmente as oportunidades latino-americanas. Para ele, se exploradas sustentavelmente, as riquezas naturais podem alçar a região ao desenvolvimento.

Vulnerabilidade

No ano passado, Nicholas Stern participou da produção de um relatório encomendado pelo secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, sobre como levantar os US$ 100 bilhões anuais prometidos pelos países desenvolvidos às nações em desenvolvimento até 2020.

Ele também ressaltou a vulnerabilidade da região aos impactos da mudança do clima, como furacões, secas e subida do nível do mar.

Por isso, Stern acredita que todos os países latino-americano devem ser beneficiados com as verbas deste fundo verde bilionário.

Entre as principais tarefas futuras na região, segundo o inglês, está o fim do desmatamento na Amazônia.

“Não há forma de combater mudanças climáticas sem acabar com o desmatamento. Mas qualquer que seja a nossa forma de acabar com ela, tem que ser em parceria com o resto do mundo, liderada pelos países onde as florestas estão.”

Para Stern, o trabalho precisa ser feito de forma a eliminar também a pobreza e fomentar o desenvolvimento.

“Temos que combater pobreza e mudança climática – se falharmos em um, falhamos no outro”, afirmou.

Tags: , , , , , , ,

sábado, 20 de novembro de 2010

Remoção sem critério,não!!! Competência; Justiça e Legalidade.


Diretório Estadual do PT-RJ

SEMOP PT/RJ

SETORIAL DE MORADIA REFORMA URBANA

SETORIAL COMUNITÁRIO

NOTA

A Secretária de Movimentos Populares PT-RJ, Setoriais de Moradia e Reforma Urbana do PT e Setorial Comunitário PT-RJ, reunidos no dia 17 último, na sede do Partido dos Trabalhadores, tendo início a reunião as 19:00h e término as 21:30h. Estiveram representadas as seguintes Instituições: FAMERJ(Federação de Associações de Moradores do Estado do Rio de Janeiro), FAFERJ (Federação de Associações de Favelas do Estado do Rio de Janeiro), FAM-RIO (Federação das Associações de Moradores do Município do Rio de Janeiro), Conselho Popular do Rio de Janeiro, NAJUP (Núcleo de Assistência Jurídica Popular), assim como, diversas lideranças Petistas dos mais variados segmentos, inclusive Coordenadores de Ocupações, além de Técnicos Urbanistas. Decidiu-se por unanimidade repudiar todas as formas arbitrarias de remoção, a que estão sendo submetidas diversas comunidades de baixa renda na Cidade do Rio de Janeiro.

Essas iniciativas estão sendo tomadas, principalmente, para realização de Megaeventos como: Copa 2014 e Olimpíadas 2016. O objetivo deste tipo de ação é de implantar equipamentos e infraestrutura viária, sendo pautada pela mais absoluta arbitrariedade, falta de transparência, ausência de diálogo e abertura de negociação com as populações envolvidas, violando todos os direitos dos cidadãos.

Consideramos que os projetos, em beneficio dos megaeventos, devem incluir outros projetos voltados para a habitação popular que visem o remanejamento das comunidades afetadas pelas obras, para localidades próximas, conforme determinação do Artigo 429 da Lei Orgânica Municipal de 1990 em seu item VI é claro.

Art. 429 - A política de desenvolvimento urbano respeitará os seguintes preceitos:

(...)

VI - urbanização, regularização fundiária e titulação das áreas faveladas e de baixa renda, sem remoção dos moradores, salvo quando as condições físicas da área ocupada imponham risco de vida aos seus habitantes, hipótese em que serão seguidas as seguintes regras:

a) laudo técnico do órgão responsável;

b) participação da comunidade interessada e das entidades representativas na análise e definição das soluções;

c) assentamento em localidades próximas dos locais da moradia ou do trabalho, se necessário o remanejamento;

Consideramos não só que os subitens a, b e c não estão sendo cumpridos, na forma justa da lei e que as autoridades responsáveis estão dando interpretação muito livre à expressão “salvo quando as condições físicas da área ocupada imponham risco de vida aos seus habitantes”. Desta forma, qualquer justificativa absurda, vale como pretexto legal para a remoção total ou parcial de comunidades, desrespeitando os princípios jurídicos mínimos de direito do cidadão garantidos por lei.

Se obras devem ser realizadas, faz-se absolutamente necessário à avaliação criteriosa de prós e contras, assim como, custos e benefícios. Será que quando a Prefeitura visa a necessidade de implantação de uma via em que seu traçado implica a remoção de uma comunidade pobre, utilizaria o mesmo critério caso se tratasse de um condomínio de classe média ou alta? Os mesmo cuidados serão tomados? O traçado não precisará ser refeito?

É preciso agir de forma cuidadosa, assim como de forma técnica, econômica e sobretudo, social. Precisamos ter critérios de avaliação mais transparentes e com abertura de negociação com as populações envolvidas. Existe uma lista com 119 remoções a serem realizadas pela administração municipal e essa lista, tem que se tornar explicitamente pública e as explicações têm que ser fornecidas , assim como, os canais de negociação tem que ser ,imediatamente, abertos.

Queremos os megaeventos na cidade, queremos a preservação da nossa paisagem natural, pois estes proporcionam a geração de empregos, prosperidade, qualidade de vida e sustentabilidade para as gerações futuras. Entretanto, não queremos que em nome deles se desenvolva um rastro de injustiças e atentados ao Direito de Moradia e demais Direitos Humanos na Cidade do Rio de Janeiro.

O Partido dos Trabalhadores deve agir no sentido de defender essas comunidades em situação mais vulnerável e exigir que a organização desses megaeventos, traga realmente benefícios para a cidade como um todo, sem detrimento dos Direitos garantido aos Cidadãos. Ressaltamos mais uma vez,que: deve-se pautar pela transparência das informações e pela justiça social no tratamento de todos os segmentos das populações envolvidas.

Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2010.

Idalécio Wanderley Silva

Secretário Estadual de Movimentos Populares do PT/RJ – SEMOP-RJ,
Secretário Estadual Sindical do PT/RJ

Cristina Novais

Coordenadora do Setorial Nacional de Moradia e Reforma Urbana do PT

Carmelita Lopes

Coordenadora do Setorial Nacional de Direitos Humanos do PT

Romero Alves

Coordenador do Setorial Estadual Comunitário do PT-RJ

Diretório Estadual do PT-RJ - Rua do Carmo, 38/3º andar, Centro - Tel: 2222-1034, 2232-2877, 2232-6292

email: semoprjpt@yahoo.com.br, semop@ptrj.org.br

sábado, 30 de outubro de 2010

Debate da Globo

O PIG mais uma vez demonstrou sua preferência nessa eleição! De maneira indireta,subliminar,dissimulada...

NAS CONSIDERAÇÕES FINAIS ENTÃO FICOU CLARO COMO A LUZ DO SOL!

A camera focalizou a Presidente Dilma de perfil durante algum tempo,depois corrigiu para uma tomada frontal,porém,de longe,sem nitidez.

Na fala do candidato deles,totalmente favorável!
Tomada frontal,tela cheia,alta resolutividade o tempo todo!!!

Deveriam registrar-se no TSE e disputar eleições diretamente ao invés de esconderem atrás de candidatos outros suas reais intenções para o Brasil. Bãh!

Vamos dar a resposta que essa gente merece,nas urnas! Vamos eleger a 1ª Mulher Presidente da República Federativa do Brasil e recordista mundial de votos,superando o Presidente Lula,Povo Brasileiro!

Cante com a gente o Jingle "Dilma Lá" - OndaVermelha - #dilmanarede

Cante com a gente o Jingle "Dilma Lá" - OndaVermelha - #dilmanarede

sábado, 23 de outubro de 2010


NOTA AOS MILITANTES DO PARTIDO DOS TRABALHADORES


Companheiros e companheiras, a campanha de nosso adversário na disputa pela Presidência da República marcou atividade para a manhã deste domingo (24/10), em Copacabana. Há informações de que estaria sendo preparada uma armação para tentar imputar a militantes petistas atos de hostilidade ao candidato José Serra ou contra sua comitiva. Essas informações não passam de rumores, mas cabe a nós fazer o alerta prévio e reiterar que o Partido dos Trabalhadores repudia qualquer tipo de violência.


Nossa orientação é para que todos os militantes e simpatizantes do PT e da candidatura de Dilma Rousseff evitem aglomerações e atos de campanha na orla durante o período em que durar a atividade de nosso adversário. E reforçamos nosso pedido para que ninguém provoque ou aceite provocações de qualquer natureza.


Neste domingo, concentraremos nossa campanha na Zona Oeste, pela manhã, onde faremos uma grande “correata” com a presença de Lula, Dilma, Sérgio Cabral, Lindberg Farias e Marcelo Crivella. Vamos para as ruas com alegria e em clima de paz para festejar a presença de Dilma e Lula no Rio. Pedimos que os militantes abram mão de acompanhar o cortejo de carro. O objetivo é concentrar a militância para saudar nossa candidata ao longo do percurso.


No período da tarde, a partir das 14h, quando já houver terminado a atividade de nosso adversário, prestigiaremos o Bloco da Dilma, uma iniciativa de integrantes de blocos do carnaval de rua do Rio, simpatizantes da campanha Dilma Presidente. A concentração será na altura do Posto 6.


Por fim, apelamos às autoridades policiais para que reforcem a presença nas ruas neste domingo, já que os dois candidatos a Presidente da República estarão na cidade.


As pesquisas de opinião que mostram Dilma ampliando a vantagem sobre o candidato do PSDB estão contribuindo para elevar o nervosismo de nossos adversários. Nosso papel é manter a cabeça fria. Repetimos nossa recomendação: não devemos provocar nem aceitar provocações. Também não podemos nos empolgar com os resultados divulgados até agora. É preciso manter a mobilização e reforçar a campanha em todas as cidades do estado. Nossa vitória depende disso.

Luiz Sérgio

Presidente PT-RJ

Dilma Presidente 13! Avante Brasil!





Sexta-feira, 22 de outubro de 2010


Para realizar um sonho, é preciso dar o primeiro passo: acreditar. Há oito anos, o povo brasileiro acreditou que este País poderia mudar com Lula Presidente. Acreditou que tínhamos grandeza suficiente para fazer o país crescer e distribuir renda, para investir em infraestrutura e reduzir as desigualdades, para incentivar a economia dando oportunidades para os que mais precisam, e para recuperarmos o respeito e a admiração do mundo inteiro. Mas para que tudo isso fosse possível, não bastou acreditar: foi preciso trabalho, atitude, vontade de fazer bem, de fazer melhor do que nunca. E para isso, o Presidente Lula contou com Dilma, que além de uma grande competência técnica, de uma enorme capacidade de propor e coordenar programas e projetos, possui também uma extraordinária sensibilidade social. E é para o Brasil seguir mudando, e sonhando novos sonhos, que vamos mobilizar toda a nossa militância neste fim de semana que antecede o dia 31 de outubro, o dia da eleição. Vamos mobilizar a todos os que acreditam na continuidade da realização deste sonho de transformar o país em torno do fim de semana Na Rua com Dilma. Vamos pras ruas! Convide seus parentes e amigos, agite sua vizinhança, seu prédio, sua quadra, seu bairro. Leve adesivos, panfletos, bandeiras, faça buzinaço, se fantasie. Com empenho, amor e um sorriso em cada rosto, conquistaremos mais votos e elegeremos Dilma a primeira mulher presidente do Brasil.

 "DEIXA DILMA ME LEVAR, DILMA
LEVA EU."

Acompanhe as atividades nos sites:
www.dilma13.com.br
www.dilmanarede.com.br
www.participabr.com.br
www.galeradadilma.com.br
www.mulherescomdilma.com.br

Um forte abraço,
Equipe Dilma13


terça-feira, 28 de setembro de 2010

MOV01911.MPG

Rubinho da Divinéia- discurso


Rubinho da Divinéia é carioca, tem 43 anos,é funcionário da Comlurb, faz
faculdade de Direito.É casado com Rosimere há 27 anos,tem 03
filhos:Jonnathan,24 anos que faz faculdade de ADM;Stéphanie,19 anos,faz
Ensino Médio e Kevin,13 anos que faz Ensino
Fundamental.
Rubinho da Divinéia é liderança atuante na
política orientando à cerca dos Direitos e Garantias fundamentais
previstos na Constituição Brasileira.Tem forte atuação política
,organizando e executando campanhas majoritárias e proporcionais do
Partido dos Trabalhadores na região do Grajaú,Vila
Isabel,Andaraí,Tijuca,Méier,Engenho Novo,etc...
Defenderá na
Assembléia Legislativa os interesses do povo do Rio em geral ,
notadamente os mais pobres,no que tange à geração de Emprego e Renda
seguindo a linha de atuação do Presidente Lula que já criou milhões de
novos postos de trabalho com carteira assinada,alinhando-se à parceria
dos governos Federal e Estadual em prol de nosso povo.
Será
intransigente na defesa do Meio Ambiente,levando a ALERJ a entrar nas
discussões acerca daPreservação Ambiental e Desenvolvimento
Sustentável.Dará ênfase ao Saneamento Básico e à construção de Moradias
organizando o uso do solo racionalmente, através do PAC.Fiscalizará a
execução e participará da criação de projetos na área da Saúde,
recuperando a estrutura que existe e não funciona adequadamente haja
vista a recente Epidemia de Dengue que vitimou várias pessoas no
município do Rio.Atuará na recuperação e valorização da Educação e seus
profissionais ,essenciais para o desenvolvimento do nosso povo e do
País.Como funcionário da Comlurb,representará os interesses desta
sofrida categoria lutando pela Recuperação das perdas Salariais e dos
Benefícios dos últimos anos.
Atuará fortemente para implantar o
Bilhete Único totalmente no sistema de transportes do nosso
estado,aumentando o tempo para utilização,
gerando economia e desafogando o trânsito para milhares de
usuários.
O Rio quer, o Rio merece!! Rubinho da
Divinéia Dep. Est. 13422:Competência, Justiça e Legalidade.Para Mudar o
Jeito de Fazer Política!;Luíz Sérgio Dep.Fed.1312;Lindberg Senador 131 e Dilma Presidente 13 para o Brasil seguir em frente mudando para melhor a vida do Povo Brasileiro!

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O RIO QUER O RIO MERECE 13422.wmv

Luiz Sergioinsercao4

Dep. Luiz Sérgio no Grajaú. Lá no fundo é a minha placa... on Twitpic

Dep. Luiz Sérgio no Grajaú. Lá no fundo é a minha placa... on Twitpic
O Rio Quer.O Rio Merece.Rubinho da Divinéia Deputado Estadual 13422 Competência;Justiça e Legalidade.

Passiata com o #depfederal #LuizSérgio pelo Grajaú on Twitpic

Passiata com o #depfederal #LuizSérgio pelo Grajaú on Twitpic

Passeata com Deputado Federal Luíz Sérgio paleas ruas de Vila Isabel,Andaraí e Grajaú.

Luiz Sérgio e eu. on Twitpic

Luiz Sérgio e eu. on Twitpic

Twitpic - Share photos on Twitter

Twitpic - Share photos on Twitter

Twitpic - Share photos on Twitter

Twitpic - Share photos on Twitter

Rubinho da Divinéia Dep. Est. 13422 Competência,Justiça e ... on Twitpic

Rubinho da Divinéia Dep. Est. 13422 Competência,Justiça e ... on Twitpic

Rubinho da Divinéia Dep. Est. 13422 Competência,Justiça e Legalidade.Perfil e Propostas

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Galeria - Rubinho da D... - #dilmanarede

Galeria - Rubinho da D... - #dilmanarede

O Rio Quer.O Rio MErece! Rubinho da Divinéia Deputado Estadual 13422 Competência;Justiça e Legalidade.Para Mudar o Jeito de Fazer Política!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Lula,por ele mesmo.




'Presidente defende, em entrevista à IstoÉ, frente ampla por reforma
política'



Construir uma ampla frente pela reforma política no País e trabalhar pela
exportação dos bons resultados das políticas sociais brasileiras para países
da América Latina, Caribe e África são duas das prioridades do presidente
Lula para quando deixar o governo, a partir de janeiro de 2011, segundo o
próprio revelou em entrevista exclusiva à revista IstoÉ publicada na edição
desta semana. Lula voltou a negar que pretenda se candidatar a um cargo na ONU
ou no Banco Mundial, e afirmou ainda que o principal legado que leva dos oito
anos que comandou o País é a relação que estabeleceu com os movimento
sociais.
Todas as políticas públicas que nós colocamos em prática é resultado de
milhares de pessoas participando nos municípios, nos estados, até chegar aqui.
Então, esse é o legado que eu acho que nós vamos deixar, que nenhum
presidente vai ter coragem de mudar, nenhum presidente.
Na entrevista, que ganhou a capa da revista, o presidente Lula falou ainda de
sua popularidade, de eleições presidenciais, Irã, Oriente Médio e reforma da
ONU. Selecionamos alguns dos principais trechos da íntegra da entrevista,
confira:

Frente ampla para reforma política
Quando eu deixar a Presidência eu vou ter 65 anos, eu ainda tenho muita
contribuição para dar, ainda tenho muita contribuição para dar ao país. Eu
sonho na construção de uma frente ampla no Brasil, juntar forças políticas
aqui, construir um programa comum, fazer reforma partidária, que eu acho que é
condição sine qua non para a gente poder mudar em definitivo o Brasil. Nós
temos que ter uma reforma partidária, e isso não é coisa, não é coisa de
presidente da República, isso é coisa dos partidos políticos. E eu pretendo,
de fora, ajudar o meu partido a organizar, com os outros partidos políticos, a
ideia da reforma política.
Popularidade e vida pós-governo
Eu não estou pensando isso ainda. Eu tenho me recusado a discutir o que eu vou
fazer e como vou fazer depois que eu deixar o mandato, porque eu não sei o que
eu vou sentir. O meu medo, o meu medo é tomar uma atitude precipitada do que eu
vou fazer, montar alguma coisa, e depois de seis meses eu descobrir que não era
aquilo que eu queria fazer. Então, eu acho que quem deixa um mandato como eu
vou deixar, numa situação, graças a Deus, muito confortável, tem que dar um
tempo de maturação. Eu preciso de um tempo, quem sabe, quatro, cinco ou seis
meses.
Legado
Olha, eu acho que o legado mais importante que eu vou deixar foi a relação
que eu estabeleci com a sociedade. Eu, no meu governo, fiz 72 conferências
nacionais. Fiz conferência de GLBT, fiz conferência de política, fiz
conferência de comunicação, conferência de portador de deficiência física,
conferência de hanseniano, conferência de negro, conferência de índio,
conferência de tudo que você possa imaginar; conferência das cidades,
conferência dos sem-teto, conferência de catador de papel. Todas as políticas
públicas que nós colocamos em prática é resultado de milhares de pessoas
participando nos municípios, nos estados, até chegar aqui. Então, esse é o
legado que eu acho que nós vamos deixar, que nenhum presidente vai ter coragem
de mudar, nenhum presidente.

Tem muitas coisas que me emocionam, porque foi um processo educativo, de a
gente teimar que era possível fazer e a gente poder provar o seguinte: o
Palácio de um governo não é apenas para receber príncipe, rainha ou
presidente, é para receber do pé descalço ao cara que está de sapato alto. E
essa foi a coisa rica do governo, ou seja, os sem-teto entrarem lá dentro e
chorar, os cegos entrarem lá dentro, aprovar aposentadoria para hansenianos,
que ficaram mais de 30 anos em colônia, e beijar cada um, e eles chorarem,
porque nunca um presidente tinha encostado perto deles, possivelmente de nojo.
Então, eu acho que esse é o grande legado.

Orgulho de ser PeTista!!

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Dilma Presidente 13! Partido é dos Trabalhadores!


Confiança, conhecimento e sinceridade na transformação do país. Foi o que Dilma Rousseff demonstrou no debate entre os candidatos na Rede Bandeirantes, na noite de quinta-feira. Dilma respondeu com elegância e profundidade às perguntas dos adversários e dos jornalistas da Band, mostrando que conhece a realidade do país e é a mais preparada para fazer o Brasil continuar avançando.

“Dilma estreou com vitória nos debates eleitorais. Ela demonstrou sinceridade e conhecimento”, disse o presidente do PT, José Eduardo Dutra.

A candidata da Coligação Para o Brasil Seguir Mudando mostrou que sabe o que os brasileiros querem nestas eleições: garantir e aprofundar as conquistas obtidas no governo do presidente Lula. “O que me move não é um projeto pessoal. Mas a realização dos sonhos de milhões de brasileiros”, afirmou.

Dilma se emocionou ao falar sobre os sete anos e meio de trabalho, coordenando a equipe de ministros do governo Lula. “Conviver com a generosidade e a inteligência política do presidente Lula me deu uma experiência única e foi também a realização dos sonhos de muitas gerações.”

Visão diferente

Dilma mostrou as diferenças entre o projeto de desenvolvimento com distribuição de renda e fortalecimento do Estado e da nação perante o mundo, implantado pelo governo Lula, e os projetos dos adversários. Ela foi a candidata que mais respondeu a perguntas e em nenhum momento deixou indagações sem explicações. Mais de 200 jornalistas se credenciaram para o debate da TV Bandeirantes e havia centenas de convidados pela emissora.

A candidata petista esclareceu que há uma visão completamente diferente entre ela e o candidato tucano em relação à saúde, por exemplo. Enquanto José Serra aposta em medidas paliativas e emergenciais, como os mutirões para resolver problemas de saúde, Dilma afirmou que é preciso fortalecer o SUS e suas estruturas permanentes.

Candidata mais preparada

Ao longo do debate, que durou duas horas e foi transmitido ao vivo para todo o Brasil, Dilma mostrou que é a candidata mais preparada, ao falar sobre as realizações do governo Lula e das metas para o próximo governo.

No confronto direto com Dilma, o candidato da oposição, José Serra, demonstrou falta de conhecimento sobre programas fundamentais para a melhoria da vida do povo brasileiro, como o Luz Para Todos. Dilma teve de explicar a Serra que este programa do governo Lula levou energia elétrica a 2 milhões de famílias na zona rural do país.

Oito anos depois de perder a eleição para Lula, Serra mostrou que ainda não compreendeu a importância da indústria naval para o desenvolvimento do país. Ele desconsiderou um setor industrial importante, que havia desaparecido no governo do PSDB e agora garante o emprego de 45 mil trabalhadores nos estaleiros. Serra não soube dizer como fará para garantir um crescimento econômico que criou mais de 14 milhões de empregos com carteira assinada.

“Quem passou meses dizendo que ia ganhar de goleada, voltou pra casa derrotado, porque fugiu das questões centrais do debate”, disse José Eduardo Dutra.

Tranquilidade de Dilma

O candidato a vice-presidente, Michel Temer (PMDB), também analisou positivamente a participação da candidata petista à Presidência. “A Dilma foi muito bem, ela estava muito tranquila. Além da tranqüilidade, ela revelou como conhece o Brasil e os problemas do país”, comentou.

Nessa mesma linha, o deputado Antônio Palocci, membro da coordenação da campanha, salientou que era exatamente essa preparação e conhecimento que se esperava de uma ministra que esteve tão envolvida com todos os temas do governo Lula.

“O debate é muito bom porque permite transmitir mais conhecimento ao eleitor sobre o que os candidatos defendem. Dilma conseguiu colocar com muita clareza o significado da candidatura dela, o objetivo de avançar nas conquistas sociais do presidente Lula. Isso é o que mais importante, que o debate ajude as pessoas a esclarecer suas posições. Ela está muito preparada para o debate”, analisou.

Ao sair do auditório, a própria Dilma disse que se sentia muito feliz pela oportunidade de debater com os demais presidenciáveis. “Foi um ótimo debate, de muito bom nível. Achei ótimo. Achei que as pessoas apresentaram seus projetos, todos os candidatos”, avaliou.

Nessa mesma linha o deputado Antônio Palocci, membro da coordenação da campanha, salientou que era exatamente essa preparação e o conhecimento que se esperava de uma ministra que esteve tão envolvida com todos os temas do governo Lula.

“O debate é muito bom porque permite transmitir mais conhecimento ao eleitor sobre o que os candidatos defendem. Dilma conseguiu colocar com muita clareza o significado da candidatura dela, o objetivo de avançar nas conquistas sociais do presidente Lula. Isso é o que mais importante, que o debate ajude as pessoas a esclarecer suas posições. Ela está muito preparada para o debate”, analisou.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Mídias Sociais no Trabalho.


Mídias sociais custam bilhões a empresas britânicas.

Por Paul Casciato

LONDRES (Reuters Life!) - Funcionários que passam o tempo no Facebook, no Twitter e em outras mídias sociais da Web custam bilhões às empresas britânicas, apontou uma nova pesquisa.

O site de empregos britânico MyJobGroup.co.uk afirmou ter entrevistado mil trabalhadores britânicos e descoberto que quase seis por cento (ou 2 milhões) da força de trabalho britânica de 34 milhões gasta mais de uma hora por dia em sites de mídia social no trabalho, chegando a mais de um oitavo de todo o seu dia de trabalho.

"Nossos resultados mostram claramente que os trabalhadores britânicos estão gastando cada vez mais tempo no trabalho nas redes de mídia social, o que, se ficar sem controle, poderá ter repercussões negativas para a produtividade de muitas empresas em todo o país", disse o diretor-executivo do Myjobgroup.co.uk, Lee Fayer, em um comunicado com os resultados da pesquisa.

O MyJobGroup.co.uk afirmou que o tempo de trabalho perdido no Facebook, no Twitter e em outras redes de mídia social pode potencialmente estar custando à Grã-Bretanha cerca de 14 bilhões de libras (22,16 bilhões de dólares).

A pesquisa indicou que mais da metade dos trabalhadores britânicos (55 por cento) confessou acessar perfis de mídia social no trabalho. Muitos gastam tanto tempo com mensagens, fotos, vídeos e atualização de seus perfis que acabam afetando a produtividade das empresas.

Apesar dos efeitos negativos sobre a economia em meio a uma frágil retomada do crescimento, muitos trabalhadores entrevistados negavam os efeitos negativos da mídia social sobre a sua eficiência. Apenas 14 por cento dos pesquisados admitiram ser menos produtivos por causa das mídias sociais e 10 por cento alegaram que as mídias sociais os tornaram mais produtivos.

Além disso, ainda há ampla resistência ao banimento do acesso às redes sociais no trabalho. Mais de dois terços (68 por cento) defende alguma forma de acesso durante as horas de trabalho. Apenas um terço gostaria de ter os sites como Facebook, Twitter, Flickr e YouTube proibidos durante o horário de trabalho, o que demonstra a importância crescente da mídia social para a rotina diária e a grande resistência à limitação do acesso.

Qual a sua opinião á respeito?!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Ficha Limpa


Confira se o seu candidato tem a ficha limpa no site do TSE.

No site do TSE, é possível consultar a certidão criminal do candidato - Reprodução Internet

RIO - Com a Lei da Ficha Limpa já em vigor, mais do que nunca a vida pregressa dos políticos ganha destaque nestas eleições. E o próprio eleitor poderá conferir se o seu candidato tem a ficha limpa, a partir das certidões criminais apresentadas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No site do tribunal, é possível consultar os documentos no link "Divulgação de Candidatos" .

Os candidatos são obrigados por lei a entregar essas certidões da "nada-consta" à Justiça eleitoral, uma espécie de prontuário, e, com isso, acabam revelando a própria ficha corrida de irregularidades. Nas certidões, constam muitas vezes milhares de processos por improbidade e crimes cometidos contra a administração pública, entre outros.

De acordo com o TSE, quando vai atrás de um nada-consta e volta com um recibo de pendências judiciais, o candidato é obrigado a fornecer outro documento, dando conta da tramitação do processo na Justiça, mostrando se houve recurso ou decisão que, à luz do Ficha Limpa, seja motivo de inelegibilidade. Antes da lei, sancionada em junho pelo presidente Lula, só quem tinha condenação definitiva (com trânsito em julgado) ficava sem o registro eleitoral.

Todos os documentos serão analisados pela Justiça eleitoral. O prazo limite para publicar a primeira lista de inelegíveis é 5 de agosto. A relação final dos punidos sai até 19 do mesmo mês, após a análise de recursos.

Boa parte dessas ações, porém, não será suficiente para impugnar candidaturas no pleito de outubro, pois não houve condenações colegiadas - pré-requisito da Lei da Ficha Limpa para se decretar a inelegibilidade - ou definitivas. Mas pode ajudar o cidadão no seu processo de escolha.

Fonte:Jornal O Globo

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Partido,Partido, é dos Trabalhadores!!!


PT é o partido de maior preferência dos brasileiros, apontam pesquisas.


O PT é o partido preferido dos brasileiros, segundo sondagens divulgadas nesta semana por três institutos de pesquisa. De acordo com o Ibope, a legenda conta com a preferência de 29% dos eleitores. O DataFolha indica que 25% da população vota no PT. Segundo o Vox Populi, o partido tem a simpatia de 18% do eleitorado.

O jornal Folha de S.Paulo reconhece que o PT é o "partido mais popular do país desde o ano 2000". De acordo com a publicação, a preferência pela legenda pode resultar em aumento da bancada petista na Câmara. "Há 20 anos existe grande correlação entre o índice de preferência do PT e o total de votos que o partido obtém para seus candidatos a deputado federal. Se a correlação se mantiver na disputa deste ano, o PT poderá eleger mais de cem deputados federais", aponta a matéria "Aprovação mais alta do PT projeta bancada recorde", veiculada nesta segunda-feira.

As legendas de oposição - PSDB e DEM (ex-PFL) - estão bem atrás na preferência do eleitorado. De acordo com números do Ibope, os tucanos contam com 7%, enquanto os demos somam apenas 1%. A mesma tendência é verificada na sondagem do Vox Populi: o PSDB aparece com 4%, enquanto o DEM nem chega a ser mencionado pelos eleitores.

O PT lidera nas cinco regiões do País. Segundo o Ibope, o melhor desempenho é no Nordeste, onde a legenda tem a simpatia de 33% da população. Nas regiões Norte, Centro Oeste e Sudeste, o partido aparece com 29%. No Sul, com 18%. De acordo com o Vox Populi, o partido também prevalece no Nordeste, com 21%. No Centro Oeste e no Sudeste, a legenda soma 18%. No Sul e no Norte, o partido tem 16% e 14%, respectivamente.

O secretário nacional de Comunicação do PT, deputado André Vargas (PR), destaca que o partido tem "uma força eleitoral e política reconhecida pela população". "As pessoas ligam o governo do presidente Lula ao nosso partido. A oposição nos ataca porque sabe desta força do PT", afirmou.

www.ptnacamara.org.br

Ambiente


Lula sanciona Política Nacional de Resíduos Sólidos


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá sanciona na tarde desta segunda-feira (2) a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que impõe obrigações a governos, a empresários e a cidadãos a respeito do gerenciamento do lixo e de materiais recicláveis. A matéria tramitou no Congresso Nacional por quase 20 anos.

Aprovada pela Câmara em março e pelo Senado em julho, a nova lei prioriza a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos. Os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes terão de investir para colocar no mercado artigos recicláveis e que gerem a menor quantidade possível de resíduos sólidos. O mesmo se aplica às embalagens.

A proposta prevê a elaboração de um plano nacional de resíduos sólidos, sob coordenação do Ministério do Meio Ambiente. Esse plano deverá conter um diagnóstico dos resíduos gerados ou administrados; a definição dos procedimentos sob responsabilidade do gerador dos resíduos; metas para diminuir a geração desses materiais; e medidas corretivas de danos ambientais.

Diversos segmentos da economia estarão sujeitos às normas, que serão parte integrante do processo de licenciamento ambiental de empreendimentos. Entre eles estão os setores de saneamento básico; de resíduos industriais, de serviços de saúde e de mineração; empresas de construção civil; e responsáveis por portos, aeroportos e terminais rodoviários.

Pela nova política, fica proibida a criação de lixões, nos quais os resíduos são lançados a céu aberto, além do lançamento de resíduos em praias, no mar, em rios e lagos. Todas as prefeituras deverão construir aterros sanitários adequados ambientalmente, onde só poderão ser depositados os resíduos sem qualquer possibilidade de reaproveitamento ou compostagem. Será proibido catar lixo, morar ou criar animais em aterros sanitários.

O lixo produzido hoje pelas cidades brasileiras chega a 150 mil toneladas por dia. Desse total, 59% vão para os "lixões" e apenas 13% têm destinação correta, em aterros sanitários. Em 2008, apenas 405 dos 5.564 municípios brasileiros faziam coleta seletiva de lixo.

Agência Câmara

lulaemocionado.flv

quinta-feira, 22 de julho de 2010

#OnibusLimpo.Eu Apóio!


Brasil desenvolve tecnologia de ônibus movido a hidrogênio.

Paulo Emílio de Miranda, coordenador do projeto do ônibus movido a hidrogênio na Coppe/UFRJ, explica que o novo ônibus é silencioso, não emite poluentes e só libera vapor d'água. (Cortesia de Somafoto)

RIO DE JANEIRO, Brasil – O ônibus movido a hidrogênio pode se tornar o principal transporte público na Copa do Mundo de 2014 e nos Jogos Olímpicos de 2016.

O veículo, que é o primeiro projeto do gênero com tecnologia 100% brasileira, foi desenvolvido pelo Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ).

O ônibus é um veículo híbrido, silencioso, que não emite poluentes e libera apenas vapor d'água. Tem autonomia de viagem de até 300 km sem recarga e é alimentado de forma híbrida, utilizando energia elétrica e energia produzida por meio de bateria alimentada com hidrogênio.

“O hidrogênio desempenhará no século XXI o mesmo papel que o petróleo no século XX”, comentou Paulo Emílio de Miranda, coordenador do projeto na Coppe, durante apresentação do novo ônibus no início deste ano.

Contrapondo-se ao petróleo, o hidrogênio “é menos poluente e fácil de se obter. É o futuro do transporte [público]”, acrescentou.

A partir deste mês, o protótipo percorrerá o campus da UFRJ para transportar professores e estudantes. Até o final do ano, o veículo será utilizado pela empresa Real no trajeto entre os aeroportos Santos Dumont e Antonio Carlos Jobim no Rio de Janeiro.

A companhia que irá fabricar os ônibus ainda não foi definida, mas Miranda adiantou que o modelo movido a hidrogênio custará de três a cinco vezes mais do que os tradicionais.

As autoridades brasileiras também estão engajadas na promoção do uso de carros elétricos.Governo também estuda criação de um centro de desenvolvimento de novas tecnologias para carros híbridos e elétricos

Segundo a mídia, uma força tarefa, que inclui os ministérios da Fazenda, Meio Ambiente, Desenvolvimento e Ciência e Tecnologia, está estudando a redução de impostos para o programa de veículos elétricos que será apresentado ao governo federal. Atualmente, incide sobre os carros elétricos a maior alíquota do setor: 25%.

Fonte:Nelza Oliveira para Infosurhoy.com

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Perfil e Propostas de Rubinho da Divinéia.


Rubinho da Divinéia é carioca, tem 43 anos,é funcionário da Comlurb, faz faculdade de Direito.É casado com Rosimere há 25 anos,tem 03 filhos:Jonnathan,24 anos que faz faculdade de ADM;Stéphanie,19 anos,faz Ensino Médio e Kevin,13 anos que faz Ensino Fundamental.

Rubinho da Divinéia é liderança atuante na política orientando à cerca dos Direitos e Garantias fundamentais previstos na Constituição Brasileira.Tem forte atuação política ,organizando e executando campanhas majoritárias e proporcionais do Partido dos Trabalhadores na região do Grajaú,Vila Isabel,Andaraí,Tijuca,Méier,Engenho Novo,etc...

Defenderá na Assembléia Legislativa os interesses do povo do Rio em geral , notadamente os mais pobres,no que tange à geração de Emprego e Renda seguindo a linha de atuação do Presidente Lula que já criou milhões de novos postos de trabalho com carteira assinada,alinhando-se à parceria dos governos Federal e Estadual em prol de nosso povo.

Será intransigente na defesa do Meio Ambiente,levando a ALERJ a entrar nas discussões acerca daPreservação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável.Dará ênfase ao Saneamento Básico e à construção de Moradias organizando o uso do solo racionalmente, através do PAC.Fiscalizará a execução e participará da criação de projetos na área da Saúde, recuperando a estrutura que existe e não funciona adequadamente haja vista a recente Epidemia de Dengue que vitimou várias pessoas no município do Rio.Atuará na recuperação e valorização da Educação e seus profissionais ,essenciais para o desenvolvimento do nosso povo e do País.Como funcionário da Comlurb,representará os interesses desta sofrida categoria lutando pela Recuperação das perdas Salariais e dos Benefícios dos últimos anos.

Atuará fortemente para implantar o Bilhete Único totalmente no sistema de transportes do nosso estado,gerando economia e desafogando o trânsito para milhares de usuários.

O Rio quer, o Rio merece!!
Rubinho da Divinéia Dep. Est. 13422:Competência, Justiça e Legalidade.Para Mudar o Jeito de Fazer Política!
Agradeço aos 658 eleitores que depositaram seu voto e sua confiança em mim.A luta continua!

Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então, somos companheiros"
CHE

A Prova de Fogo do PT!

O Partido dos Trabalhadores está governando o Brasil desde 2003.
Governa para 190 Milhões,aproximadamente,como se governasse para um pequeno município de 19 Mil habitantes: Com atenção á pessoa,ao trabalhador,ao elemento mais importante na equação que conjuga números e cifras na economia mundial: O ser Humano!!

É pelo elemento Humano que o governo do PT investe em pesquisas,em novas técnicas agrícolas,novos medicamentos,novas técnicas cirúrgicas e de tratamentos,novos combustíveis,em preservação da Amazônia e outros Biomas,na pesquisa e prospecção de petróleo,inclusive no pré-sal,enfim...
O Socialismo na prática,aplicado políticamente,no sentido de visar o bem estar social do maior número possível de governados e não de um grupo específico ou uma minoria poderosa,do ponto de vista econômico-político.
O Partido dos Trabalhadores,na figura do Presidente e de sua equipe de governo,criaram as condições para que o Brasil pudesse enfrentar crises de toda ordem,principalmente,crises econômicas.
Estamos Fortes! Fazendo o que é necessário e a seu tempo,sem atropelos,para enfrentar esta grave crise. Crise esta fruto da irresponsabilidade do ícone do capitalismo mundial que,como se não bastasse tal situação a que condenou todos os Países,em maior ou menor grau,ainda permitiu que surgisse em seu seio,um grande escândalo financeiro que causou enormes perdas a investidores particulares e grandes instituições financeiras.Não se cansam de errar!

Estamos Firmes! Atravessaremos esta tormenta mundial que aquí,em face das políticas responsáveis e humanas, adotadas pelo Partido dos Trabalhadores,na figura do Presidente Lula,não passará de Marolinha,juntos: O Partido dos Trabalhadores,O Chefe do Executivo,Equipe de Governo e ,Principalmente,o Povo Brasileiro!

terça-feira, 13 de julho de 2010

Serra mente contra trabalhadores.


Presidentes de centrais sindicais denunciam: Serra mente contra trabalhadores

Os presidentes de cinco centrais sindicais assinaram um manifesto contra as mentiras perpetradas pelo candidato tucano José Serra nesta campanha eleitoral.

Leia a íntegra do manifesto assinado pelos presidentes da CUT, Força Sindical, CTB, CGTB e Nova Central:

Serra: impostura e golpe contra os trabalhadores

O candidato José Serra (PSDB) tem se apresentado como um benemérito dos trabalhadores, divulgando inclusive que é o responsável pela criação do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) e por tirar do papel o Seguro-Desemprego. Não fez nenhuma coisa, nem outra. Aliás, tanto no Congresso Nacional quanto no governo, sua marca registrada foi atuar contra os trabalhadores. A mentira tem perna curta e os fatos desmascaram o tucano.

A verdade

Seguro-Desemprego - Foi criado pelo decreto presidencial nº 2.284, de 10 de março de 1986, assinado pelo então presidente José Sarney. Sua regulamentação ocorreu em 30 de abril daquele ano, através do decreto nº 92.608, passando a ser concedido imediatamente aos trabalhadores.

FAT – Foi criado pelo Projeto de Lei nº 991, de 1988, de autoria do deputado Jorge Uequed (PMDB-RS). Um ano depois Serra apresentou um projeto sobre o FAT (nº 2.250/1989), que foi considerado prejudicado pelo plenário da Câmara dos Deputados, na sessão de 13 de dezembro de 1989, uma vez que o projeto de Jorge Uequed já havia sido aprovado.

Assembleia Nacional Constituinte (1987/1988) - José Serra votou contra os trabalhadores:

a) Serra não votou pela redução da jornada de trabalho para 40 horas;
b) não votou pela garantia de aumento real do salário mínimo;
c) não votou pelo abono de férias de 1/3 do salário;
d) não votou para garantir 30 dias de aviso prévio;
e) não votou pelo aviso prévio proporcional;
f) não votou pela estabilidade do dirigente sindical;
g) não votou pelo direito de greve;
h) não votou pela licença paternidade;
i) não votou pela nacionalização das reservas minerais.
Por isso, o Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar), órgão de assessoria dos trabalhadores, deu nota 3,75 para o desempenho de Serra na Constituinte.

Revisão Constitucional (1994)

Serra apresentou a proposta nº 16.643, para permitir a proliferação de vários sindicatos por empresa, cabendo ao patrão decidir com qual sindicato pretendia negociar. Ainda por essa proposta, os sindicatos deixariam de ser das categorias, mas apenas dos seus representados. O objetivo era óbvio: dividir e enfraquecer os trabalhadores e propiciar o lucro fácil das empresas. Os trabalhadores enfrentaram e derrotaram os ataques de Serra contra a sua organização, garantindo a manutenção de seus direitos previstos no artigo 8º da Constituição.

É por essas e outras que Serra, enquanto governador de São Paulo, reprimiu a borrachadas e gás lacrimogênio os professores que estavam reivindicando melhores salários; jogou a tropa de choque contra a manifestação de policiais civis que reivindicavam aumento de salário, o menor salário do Brasil na categoria; arrochou o salário de todos os servidores públicos do Estado de São Paulo.

As Centrais Sindicais brasileiras estão unidas em torno de programa de desenvolvimento nacional aprovado na Conferência Nacional da Classe Trabalhadora, em 1º de junho, com mais de 25 mil lideranças sindicais, contra o retrocesso e para garantir a continuidade do projeto que possibilitou o aumento real de 54% do salário mínimo nos últimos sete anos, a geração de 12 milhões de novos empregos com carteira assinada, que acabou com as privatizações, que descobriu o pré-sal e tirou mais de 30 milhões de brasileiros da rua da amargura.

Antonio Neto – presidente da CGTB
Wagner Gomes – presidente da CTB
Artur Henrique – presidente da CUT
Miguel Torres – presidente da Força Sindical
Jose Calixto Ramos – presidente da Nova Central

Biografia da Futura Presidente Dilma.



www.dilma13.com.br

Dilma tinha apenas 14 anos quando o pai morreu. Já havia lido “Germinal”, romance de Emile Zola sobre as sub-humanas condições de vida dos trabalhadores das minas de carvão francesas. Lera também “Humilhados e Ofendidos”, de Dostoiévski, entre os muitos clássicos humanistas que Pedro Rousseff lhe apresentara. O pai ensinara a filha a amar os livros e as pessoas. Agora, ela teria que seguir o aprendizado ao lado dos irmãos, Igor e Zana, e da mãe, dona Dilma, que lutaria com unhas e dentes para manter a família no rumo traçado pelo marido.

Dilma vai fazer o ensino médio no Colégio Estadual Central e, em seguida, a faculdade de economia na Universidade Federal de Minas Gerais, centros de efervescência cultural e política de Belo Horizonte às vésperas do golpe militar de 64. A barra mais pesada viria em 68, quando o AI-5 baixado pelos militares mergulhou o Brasil ainda mais fundo nos porões da repressão.

A adolescência e a juventude são temperadas com literatura, cineclube e discussões políticas nos bares onde o petisco preferido dos rapazes e moças sem dinheiro no bolso é farinha com molho inglês a palito. Dilma e sua geração entram de cabeça na militância política. Com 16 anos ela já está na Polop. Depois na Colina e finalmente na VAR-Palmares -- todas organizações clandestinas, num tempo em que tudo era proibido e que você podia ser preso apenas por escrever num muro a palavra “Liberdade”.

Os trabalhadores eram proibidos de reivindicar melhores condições de trabalho, os estudantes não podiam se organizar, o teatro, o cinema, a literatura e as artes em geral estavam sob forte censura, não existia liberdade de imprensa.

Dilma vê amigos presos, torturados, exilados e assassinados pela repressão. Casa-se com o companheiro de militância Claudio Galeno. Os dois caem na clandestinidade e, para fugir ao cerco da repressão, dividem-se entre diferentes cidades, até que a distância acaba separando o jovem casal.

Pouco depois, ela se apaixona pelo advogado e militante gaúcho Carlos Araújo. Em 1970, é presa e torturada nos porões da Oban e do Dops, em São Paulo. Como jamais participou de qualquer ação armada, a Justiça Militar a condena apenas por “subversão”, com pena de dois anos e um mês de prisão. Seu “crime” foi o mesmo de tantos jovens daqueles anos rebeldes: querer mudar o mundo.

Apesar de condenada a dois anos e um mês de prisão, Dilma só seria libertada depois de quase três anos no presídio Tiradentes, na capital paulista. Ao sair, passa uma temporada em Minas, junto da família, curando as dores do corpo e do espírito.

Em 1973, muda-se para Porto Alegre, onde o marido, Carlos Araújo, também capturado pela repressão, cumpre pena de quatro anos. Araújo é libertado e retoma a advocacia; Dilma passa no vestibular e recomeça os estudos, agora na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, uma vez que a Universidade Federal de Minas Gerais havia jubilado e anulado os créditos dos alunos envolvidos com organizações de esquerda.

Em 75, começa a trabalhar como estagiária na Fundação de Economia e Estatística (FEE), órgão do governo gaúcho, e no ano seguinte torna-se mãe de Paula Rousseff Araújo -- que em setembro de 2010 lhe dará o primeiro neto.

O desgaste do regime militar faz renascer a esperança na volta da democracia. Dilma engaja-se na campanha pela Anistia, e, junto com o marido, ajuda a fundar o PDT do Rio Grande do Sul. Entre 1980 e 85, trabalha na assessoria da bancada estadual do PDT e exerce intensa militância. Atua decididamente no movimento pelas Diretas Já e na campanha de Carlos Araújo a deputado estadual. Ele é eleito em 82, iniciando o primeiro de seus três mandatos consecutivos.

Em 86, o pedetista Alceu Collares, novo prefeito de Porto Alegre, escolhe Dilma para a Secretaria da Fazenda. É o início de uma trajetória administrativa que mais tarde seria reconhecida por três características principais: determinação, competência e sensibilidade social.

A década de 80 chega ao fim com o Brasil realizando a primeira eleição direta para a Presidência após a ditadura. Dilma, então diretora-geral da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, faz campanha para Leonel Brizola, no primeiro turno, e para Lula, no segundo.

No início dos anos 90, torna-se presidente da Fundação de Economia e Estatística, a mesma FEE onde havia iniciado a vida profissional como estagiária. Em 93, com a eleição de Alceu Collares para o governo do Rio Grande do Sul, assume a Secretaria Estadual de Minas, Energia e Comunicação, iniciando um trabalho que mais à frente seria reconhecido no Brasil inteiro.

Em 94, após 25 anos de relacionamento, separa-se de Carlos Araújo, seu grande amigo até hoje. Em 98, inicia o curso de doutorado em ciências sociais na Unicamp, mas, já envolvida na sucessão estadual gaúcha, não chega a defender tese. Aliados, PDT e PT elegem o petista Olívio Dutra ao governo. Dilma, mais uma vez, ocupa a Secretaria de Minas, Energia e Comunicação. Dois anos depois, com o rompimento da aliança, filia-se ao PT.

Dilma conclui a segunda passagem pelo governo gaúcho no final de 2002. Lula havia sido eleito presidente e, para os gaúchos, não havia dúvidas de que ela deveria ser aproveitada na equipe do novo governo. A torcida era baseada em fatos concretos.

Dilma havia encontrado o setor energético gaúcho em frangalhos. Sem projetos, sem investimentos e sofrendo apagões constantes. Uma situação semelhante à do resto do Brasil. Aliás, já em 1999, Dilma alertara o governo federal sobre o risco de um racionamento no país, mas não foi ouvida.

No Rio Grande do Sul, ela vai à luta. Inicia um programa de obras emergenciais que inclui a implantação de 984 km de linhas de transmissão e a construção de usinas hidrelétricas e termelétricas. Além disso, mobiliza os setores público e privado num grande esforço pela redução do consumo, sem prejudicar a produção nem o bem estar da população.

Com essas e outras medidas, Dilma aumenta em 46% a capacidade do sistema energético gaúcho e faz do Rio Grande do Sul um dos poucos estados brasileiros a não sofrer o racionamento de energia imposto pelo governo FHC entre maio de 2001 e fevereiro de 2002.

Graças a esse trabalho, Lula convida Dilma primeiro para participar da equipe do governo de transição – e, depois de uma única conversa olho no olho, decide que ela será a sua ministra de Minas e Energia.

Entre todos os ministros do novo governo, Dilma é a que recebe uma das tarefas mais complexas: afastar o risco de outro racionamento de energia, condição fundamental para que Lula coloque em prática seu projeto de desenvolvimento econômico e social do país.

Dilma enfrenta e vence esse desafio. Entre 2003 e 2005, comanda uma profunda reformulação, a começar pela criação de um novo marco regulatório para o setor. Investimentos privados são atraídos para a construção de usinas hidrelétricas, termelétricas e eólicas. A capacidade de geração e transmissão de energia é ampliada, e a ameaça de racionamento fica para trás.

Como se fosse pouco, Dilma ainda preside o Conselho de Administração da Petrobrás, introduz o biodiesel na matriz energética brasileira e cria o programa Luz para Todos, que já levou energia elétrica para mais de 11 milhões de brasileiros e brasileiras que, em pleno século 21, viviam na idade das trevas.

Em 2005, a eficiência de Dilma já é largamente reconhecida dentro e fora do governo. Por isso, ninguém se surpreende quando o presidente a escolhe para ocupar a chefia da Casa Civil e, consequentemente, coordenar o trabalho de todo o Ministério. Consolida-se aí a parceria entre Lula e Dilma, que estabeleceria novos marcos para o crescimento do país.

Dilma assume a coordenação de programas estratégicos como o PAC e o Minha Casa, Minha Vida. Coordena, ainda, a Comissão Interministerial encarregada de definir as regras para a exploração do Pré-Sal e integra a Junta Orçamentária do governo. Também participa ativamente de outros projetos fundamentais, como a definição do modelo de TV digital e a implantação de internet banda larga nas escolas públicas.

À frente da Casa Civil, Dilma tem uma atuação decisiva na transformação do Brasil em um país que cresce e, ao mesmo tempo, distribui renda e combate as desigualdades sociais e regionais. Por esse caminho, mais de 13 milhões de brasileiros e brasileiras conquistam emprego com carteira assinada, 24 milhões deixam para trás a pobreza absoluta e 31 milhões passam para a classe média. Em abril de 2009, Dilma revela corajosamente ao país que vai enfrentar outro grande desafio, desta vez no plano pessoal: um câncer linfático. O tratamento não a afasta de sua rotina diária. Em setembro daquele mesmo ano, os médicos anunciam: "Dilma Rousseff encontra-se livre de qualquer evidência de linfoma, com estado geral de saúde excelente”.

No final de março deste ano, Dilma e Lula lançam o PAC 2, que amplia as metas da primeira versão do programa e incorpora uma série de ações inéditas, a maioria delas destinada ao combate dos principais problemas das grandes e médias cidades. No dia 3 de abril, Dilma desincompatibiliza-se do governo e inicia uma nova etapa de sua caminhada em favor de um Brasil cada vez melhor para todos e todas.

E no dia 3 de outubro de 2010, é a vez de você ajudar a escrever um novo capítulo para esta história, elegendo Dilma a primeira mulher presidente do Brasil;Lindberg Senador;Luíz Sérgio Dep. Fed. e Rubinho da Divinéia Dep. Est. Uma mulher para quem “qualquer política pública só vale a pena se mudar a vida das pessoas”. Afinal, desde menina, Dilma sabe a importância de repartir.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Eu no O Globo/Comentários.

Dá uma olhada na data desta postagem no Jornal O Globo Online!!!!!

RubinhoDivinéia - e-mail
15/01/2010 - 21h 45m

Não há nada de novo nessa situação.Em 2008,para Prefeito,Gabeira e César Maia estiveram juntinhos! Essa formação não é nova e será derrotada novamente.Chega de retrocessos no Rio de Janeiro!
A coligação é tão ampla que chega a criar palanques para candidatos ao mesmo cargo!
Que vontade política,não?
Em Outubro é Dilma Presidente;Luíz Sérgio Dep.Fed. e Rubinho da Divinéia Dep.Est. para dar continuidade ao Projeto Brasil do PT que está mudando,para melhor,a vida do povo brasileiro!

Eleições 2010

O Rio Quer.O Rio Merece! Rubinho da Divinéia 13422 Dep.Est. Competência;Justiça e Legalidade.Para Mudar o Jeito de Fazer Política.

domingo, 4 de julho de 2010

Indepêndencia Política.


Postado no Blog do Emir Sader em 03/07/2010.

Para quem quer que o Brasil siga o caminho atual, consolide as transformações iniciadas pelo governo Lula, as aprofunde e promova as transformações estruturais que permitirão fazer do Brasil uma sociedade, justa, soberana, solidária – é condição indispensável a vitória de Dilma Rousseff.

O segundo objetivo, estreitamente vinculado a esse, condição mesma do seu sucesso, é eleger uma bancada parlamentar, na Câmara e no Senado, com maioria de esquerda. Para não necessitar de alianças que comprometam o projeto essencial do governo, para não depender de negociações difíceis e muitas vezes infrutíferas com partidos aliados, mas que não comungam das diretrizes essenciais do governo. Para não ter que entregar Ministérios fundamentais – como os da Agricultura, da Comunicação, da Defesa, das Cidades – a partidos cujas orientações muitas vezes defendem interesses que estão em contradição com políticas essenciais de superação do neoliberalismo.

A aliança com o PMDB se dá não por uma opção preferencial por alianças com esse ou outro partido fora do campo popular. Tanto assim que o governo começou sem ter incorporado ao PMDB, o que levou a que quase fosse derrubado, em 2005, por não ter maioria no Congresso. E ainda teve que entregar cargos estratégicos a esse partido e a outros similares do ponto de vista ideológico, para dispor dessa maioria parlamentar indispensável para governar. As alianças foram necessárias por falta de maioria do campo popular no Congresso – objetivo pelo qual temos que lutar duramente nestas eleições.

Um governo democrático, popular, nacional, soberano, com capacidade para implementar definitivamente um modelo econômico centrado no capital produtivo, inerentemente vinculado à distribuição de renda, à universalização de direitos e à expansão continua do mercado interno de consumo popular, que consolide nossa soberania externa, em torno das alianças prioritárias com os países latinoamericanos e com os do Sul do mundo – requer uma força própria, que não dependa de maioria conjunturais ou de alianças que demandam em troca concessões em temas essenciais para a plataforma da campanha da Dilma.

Por isso temos que centrar esforços especiais em eleger uma maioria parlamentar – na Câmara e no Senado – dos partidos de esquerda: do PT, do PSB, do Pc do B, do PDT, e de todas as forças que se identificam com o programa da candidatura da Dilma. Precisamos estende a ampla maioria social progressista, que apoio o governo Lula e a candidatura da Dilma, em força política e eleitoral, para criar uma maioria parlamentar progressista.

É talvez muito cedo para que a imensa massa beneficiária dos programas sociais do governo já tenha conseguido eleger seus próprios representantes – um tema central para que sejam não apenas sujeitos econômicos e sociais, mas também políticos, o que mudará definitivamente o Brasil, a ser uma democracia social e política.

É preciso mobilizar a todos os militantes de esquerda também para as campanhas parlamentares – para o Senado e para a Câmara -, para fazer chegar essa mensagem aos setores populares, majoritários e decisivos nos destinos do Brasil.

sábado, 12 de junho de 2010

2010 Ano-Mulher!

Elas Venceram!

Sim, caros leitores deste periódico, as mulheres deram a volta por cima, se impuseram e, hoje, disputam de igual para igual os espaços na sociedade e na comunidade internacional.

Outrora confinadas nos lares, criadas para serem ”Prendadas”, “Donas de casa” e terem como “Profissão” serem “Do lar”, ou, no máximo, “Domésticas”, as mulheres foram á luta. Mostraram quão errados estavam os que as julgavam seres dependentes do homem, sexo “frágil”, e outros adjetivos pejorativos com que a sociedade machista as rotularam ao longo dos tempos.

Incrível a trajetória dessas heroínas!

Foram muitos os avanços e conquistas. Não sem dor; Não sem mortes, inclusive; Não sem luta; Sem abrir mão de famílias, lares, carreiras, enfim...

Elas saíram daquela condição análoga a de escravos e foram á lua! Sim! Á lua, caríssimos leitores! A estação espacial internacional MIR abrigou-as já, entre seus tripulantes.

Antes, elas conquistaram a pílula e decidiram quando e se seriam mães e quantos filhos teriam! Ocuparam o lugar mais alto na hierarquia das empresas em que trabalhavam nos postos subalternos.

Conquistaram o direito de votar e participar da atividade política. Foram á universidade e hoje são Advogadas; Juízas; Procuradoras; Ministras dos Tribunais Superiores; Dentistas; Engenheiras; Políticas...

No mundo todo, alguns importantes países experimentaram a competência e o pulso firme das mulheres no posto político mais alto: A Presidência!

No Brasil, país com algum ranço machista ainda entranhado no seio da sociedade, ainda não tivemos tal oportunidade.

Mas, se Alemanha, Chile, Argentina e outros grandes países elegeram-nas para dirigir-lhes os destinos, qual a razão de o Brasil não poder fazê-lo?!

Sim! Nós Podemos!

E o faremos!

Nas Eleições 2010, em Outubro, o Brasil fará história e justiça ao gênero que já é maioria entre nós e elegerá a 1ª Mulher Presidente do País e optará pela consolidação do Contrato Social vigente, que está mudando para melhor a vida do povo brasileiro!

Não tenho dúvidas de que o modelo atual é o melhor caminho a seguir agora e nos próximos anos, e levará o Brasil ao G-4 em pouco tempo, reforçando o protagonismo e soberania alcançados pelo Brasil.